sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

ELEIÇÕES CONSEC-MG: AGRADECIMENTO

Quero agradecer a todos que me deram um voto de confiança para representá-los no CONSEC/MG - Conselho Estadual de Política Cultural de Minas Gerais (2017/2018), para defender as ações em prol de nosso patrimônio material e imaterial e acompanhar a aprovação e execução do Plano Estadual de Cultura.
Um agradecimento especial aos membros da ADERMAB, Associação de Folias de Reis, que me indicaram para representa-los na defesa desta manifestação cultural de origem portuguesa que ainda resiste e luta para manter a tradição de fé e solidariedade no interior do nosso interior. Minha mais sincera gratidão e certeza de que continuarei na luta por nosso patrimônio cultural.

Ao CONSEC-MG - órgão colegiado que auxilia na criação de condições para que todos os mineiros exerçam seus direitos culturais e tenham acesso aos bens culturais, destaco a responsabilidade do diálogo permanente, e a importância da comunicação efetiva REPRESENTANTES/ REPRESENTADOS através dos 17 territórios de desenvolvimento do Estado.  

Como uma instância da sociedade civil junto ao poder público, cabe ao CONSEC manter instâncias de discussão com as associações representativas de manifestações culturais, artistas, produtores culturais, conselhos municipais, pontos de cultura, assegurando a democratização da participação de todos os agentes culturais da sociedade. Entretanto, a falta de indicação de representantes da cultura indígena — nossa primeira cultura, que luta e resiste com suas comunidades e seus saberes, ao poder do dinheiro que a tudo corrói, além da participação de apenas 202 dos 853 municípios do Estado na escolha de representantes, demonstra a necessidade de organização e aperfeiçoamento da comunicação representantes (CONSELHO) e representados (SOCIEDADE).

Durante o FÓRUM TÉCNICO PLANO ESTADUAL DE CULTURA, do qual faço parte como representante do Comitê de Representação Região Sudoeste, uma das propostas de AÇÃO LEGISLATIVA foi a criação de uma rede pública de comunicação integrando os 17 Territórios de Desenvolvimento de Minas Gerais, articulando o diálogo entre os territórios, a troca de informações, integração cultural, através da produção e difusão de conteúdo, ação que se aprovada contribuirá, também, com a comunicação entre  conselho e sociedade.

Taís T Ferreira
Jornalista/Fotógrafa

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Por que é preciso ter conselhos de cultura?

Cultura é um direito e demanda por políticas participativas para que se efetive este direito.

Vote nos dias 15, 16 e 17 de dezembro.

Ser conselheiro é uma possibilidade concreta de participar de um momento histórico de construção de ações permanentes de desenvolvimento humano e cultural por meio da consulta à população. 

A atuação dos conselheiros responde a uma necessidade fundamental de articulação e cooperação entre os diferentes entes do governo municipal, estadual e federal e uma efetiva participação da sociedade civil.

Memória e patrimônio são plurais e portanto, requerem uma perspectiva igualmente diversa, plural amplamente debatida por todos. Por isso, o desafio histórico dos conselhos é a participação popular nas políticas públicas do Estado, protegendo e promovendo o patrimônio cultural e o desenvolvimento social com pleno exercício dos direitos culturais e garantindo o acesso aos bens e serviços culturais.

Participar de um conselho não é só comparecer às reuniões, deliberar ou representar. É participar na perspectiva e preocupação com o todo, com o bem estar, com a memória, com o patrimônio e com os direitos culturais da população brasileira.

A esfera pública é o espaço do debate entre a população e as outras esferas da sociedade. Estado e sociedade se complementam, não são duas forças em conflito, por isso necessitam diálogo entre si em prol do coletivo.

Vote no representante para o CONSELHO DE POLÍTICA CULTURAL - CONSEC-MG


SEGMENTO: Patrimônio Material e Imaterial



NOME: Tais Teonilia Ferreira

ENTIDADE: Associação dos Devotos dos Reis Magos de Belém de Piumhi/MG - ADERMAB

CNPJ: 11.001.649/0001-43

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Participação popular nas políticas públicas para a cultura

Olá pessoal!

Vote nos dias 15, 16 e 17 de dezembro em www.consec.mg.gov.br.
Fui indicada na categoria Patrimônio Material e Imaterial para a renovação do Conselho Estadual de Política Cultural – CONSEC/MG, biênio 2017/2018.

Minha representação visa contribuir para o aprimoramento do processo de participação da sociedade nas políticas do Plano Estadual de Cultura, através da integração e colaboração dos 853 municípios do Estado de Minas Gerais.

Entre os principais objetivos, estão a valorização e a divulgação da diversidade cultural mineira, a promoção do desenvolvimento regional por meio da cultura, a circulação de bens culturais e aperfeiçoamento dos agentes culturais, além de difundir e aumentar a demanda pelos programas e ações do Sistema Estadual de Cultura, bem como a comunicação integrada entre os 17 territórios de desenvolvimento de Minas Gerais.

Represento a ASSOCIAÇÃO DOS DEVOTOS DOS REIS MAGOS DE BELÉM, que busca preservar uma das maiores celebrações da cultura e da religiosidade popular do Brasil — a FOLIA DE REIS, patrimônio imaterial que guarda uma das mais profundas raízes da memória coletiva brasileira, com seus cantos, danças e cantorias que vão do catira ao lundu.

A FOLIA DE REIS é uma manifestação que traz a marca de um povo simples, habitante de pequenas cidades do interior que preservam há várias gerações danças, música, toadas, cores e batidas com a característica de cada localidade, com saberes, fazeres e valores do povo.

Na área de museus, idealizei o projeto “Museu das Profissões”/Odontologia na Casa da Cultura de Piumhi, uma iniciativa que busca dar continuidade à trajetória histórica das profissões de mineiros e mineiras do ambiente urbano e rural.

Mas, para que eu possa representar o papel de conselheira a altura do desafio histórico, do desafio institucional e político que a sociedade mineira necessita, eu preciso da sua ajuda!

Vote nos dias 15, 16 e 17 de dezembro em www.consec.mg.gov.br.

Categoria PATRIMÔNIO MATERIAL E IMATERIAL
Taís Teonília Ferreira


A votação será aberta a todo e qualquer cidadão mineiro, com idade mínima de 16 anos, que se interesse pela cultura e deseje ajudar a escolher a representação da sociedade civil no Conselho de Política Cultural. Deverão ser informados dados como CPF, título de eleitor, endereço e e-mail. 
Cada eleitor poderá votar em um único segmento. Na plataforma online você já tem acesso ao perfil e currículo dos candidatos, podendo assim avaliar as opções.
Contato:

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Associação de Folia de Reis - ADERMAB é habilitada para compor o Conselho Estadual de Cultura

Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais divulgou a lista oficial dos candidatos habilitados a concorrer na eleição do Conselho Estadual de Política Cultural – biênio 2017/2018. 

A ASSOCIAÇÃO DOS DEVOTOS DOS REIS MAGOS DE BELÉM DO MUNICÍPIO DE PIUMHI/MG - ADERMAB,  que tem por finalidade promover o patrimônio imaterial da Folia de Reis, está habilitada a compor o Conselho Estadual de Política Cultural - CONSEC/MG, conforme lista oficial divulgada pela Secretaria Estadual de Cultura de Minas Gerais.

O CONSEC-MG é um órgão colegiado de caráter consultivo, propositivo, deliberativo e de assessoramento que auxilia na criação de condições para que todos mineiros exerçam seus direitos culturais e tenham acesso aos bens culturais. Atua como uma instância da sociedade civil junto ao poder público, acompanhando a elaboração e a execução do Plano Estadual de Cultura; mantendo instâncias de diálogo entre a sociedade civil e o poder público, além de manifestar-se sobre programas regionais de incentivo, gestão de acervos culturais entre outros.

A ADERMAB indicou Taís T Ferreira, jornalista, para participar do conselho pelo segmento Patrimônio Material e ImaterialTaís participou do Plano Estadual de Cultura 2016 e representa a Câmara Consultiva Território Oeste e Sudoeste. Na cidade de Piumhi, na área de museus, é responsável pelo projeto “Museu das Profissões”- Odontologia na Casa da Cultura, uma iniciativa que busca dar continuidade à trajetória histórica das profissões de mineiros e mineiras do ambiente urbano e rural, além da pesquisa e apoio ao patrimônio das folias de reis da região e ações culturais com as escolas em oficinas e mostras de filmes e curta-metragens.


Como votar


Pela primeira vez, a votação será realizada de maneira totalmente virtual, possibilitando a participação da sociedade. O processo de votação online poderá ser acessado através do site do conselho www.consec.mg.gov.br, nos dias 15, 16 e 17 de dezembro. Diferente das eleições anteriores, não será necessário o cadastro prévio de eleitores. Foi eliminada também a restrição de participação somente de pessoas jurídicas.

Desta vez a votação será aberta a todo e qualquer cidadão mineiro, com idade mínima de 16 anos, que se interesse pela cultura e deseje ajudar a escolher a representação da sociedade civil no Conselho de Política Cultural. Deverão ser informados dados como CPF, título de eleitor, endereço e e-mail.

Cada eleitor poderá votar em um único segmento. Na plataforma online ele terá acesso ao perfil e currículo do candidato, tendo condições para realizar a sua escolha. A divulgação do resultado das eleições do Consec está prevista para o dia 20 de dezembro.


Vote nos dias 15, 16 e 17 de dezembro em 

Taís T Ferreira
Seguimento: Patrimônio material e imaterial

CURRÍCULO RESUMIDO
Graduação:Comunicação Social – Habilitação jornalismo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – 1988; Pós Graduação: Memória e Cinema Escola de Belas Artes – Universidade Federal de Minas Gerais – 2000; Plano Estadual de Cultura/2016: Representante Câmara Consultiva Território Sudoeste; Idealização do “Museu das Profissões” – Odontologia na Casa da Cultura de Piumhi. Consultoria para a criação do primeiro Ponto de Cultura da Associação de Folias de Reis - ADERMAB. No CENTRO DE REFERÊNCIA AUDIOVISUAL – SMC – PBH,(1999 – 2001), hoje MIS - Museu de Imagem e Som – SMC/PBH, dirigiu e produziu documentários e trabalhou com procedimentos de organização, catalogação e cuidados com o acervo — Cinejornais, acervo fotográfico, cinematográfico, além pesquisa e intercâmbio com outros museus. TV HORIZONTE (2002 - 2006) Produção/roteiro/direção/ reportagens (cinema e música) Programa Sala de cinema, exibido na Tv Horizonte, Tv Puc e Rede SescSenac- SP; Produção e edição do Programa Cinema em Cena. Coordenação cobertura 6a, 7a, 8a e 9a Mostras de Cinema de Tiradentes e 1a CINEOP. Produção/ direção/ roteiro - Programa ClipShow. Em Ouro Preto, trabalhou na produção do Seminário de Música Instrumental Brasileira, em 1986, através da Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP, produção de concertos de alunos, professores e outros artistas. 

Com informações do CONSEC e da Secretaria Estadual de Cultura.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

3º Encontro Nacional de Folia de Reis





3º Encontro Nacional de Folia de Reis
Quando: domingo, 31 de janeiro de 2016
Onde: Rua Bambuí entre as ruas São Vicente e Modesto Caldeira - Piumhi - MG - Associação do Devotos dos Reis Magos de Belém - ADERMAB - PIUMHI-MG

Companhias de Reis das cidades de Capitólio, Vargem Bonita, São Roque de Minas, Candeias, Boa Esperança, Formiga, Itaúna, Campo Belo, Campinópolis se apresentam em Piumhi






Publicado janeiro de 2016 

Tradição, dança, cores, e muita fé. 
Encerrando o mês de janeiro, a Associação dos Devotos dos Reis Magos, celebrou o 3º Encontro de Folia de Reis de Piumhi, uma das mais legítimas representações da religiosidade do interior do Estado. 

No Brasil as Folias de Reis recebem a influência das origens europeias, são bens culturais de natureza imaterial, com formas e expressões locais na música, na dança e nas orações. 
O evento começou com uma celebração eucarística seguida pela entrada das bandeiras e a solenidade de abertura. Durante todo o dia houve uma feira de artesanato na sede da associação. O almoço foi servido no Ginásio da Associação São Vicente de Paula. 

 As apresentações das folias de Reis iniciaram pela manhã até a tarde. Se apresentaram 11 companhias de Reis das cidades de Capitólio, Vargem Bonita, São Roque de Minas, Candeias, Boa Esperança, Formiga, Itaúna, Campo Belo, Campinópolis e Piumhi. No fim da tarde começou o leilão de gado e outras prendas, com arrecadação totalmente revertida para o término das obras da Capela de Santos Reis, sede da entidade reconhecida como patrimônio cultural imaterial da cidade de Piumhi desde 2010. 

A Associação dos Devotos dos Reis Magos de Belém do município de Piumhi prepara-se para se constituir em Ponto de Cultura de Tradições Imateriais da cidade.


quinta-feira, 28 de abril de 2016

INVENTÁRIO FOLIAS DE MINAS



O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, Iepha/MG, quer conhecer os grupos de Folias, Ternos e Charolas  que celebram essa rica tradição no estado de Minas Gerais.

Preencha o formulário no link abaixo e faça parte do Inventário Oficial de Grupos de Folia de Minas. É fácil, rápido, seguro e sua contribuição poderá ajudar para que as Folias sejam reconhecidas como um patrimônio cultural imaterial de nossa terra.

http://goo.gl/forms/j0LF9a9Ert

Definição de Folias de Minas
As Folias constituem-se em uma prática cultural e religiosa de devoção católica. Também denominados como Terno, Charola ou Companhia, os grupos se estruturam a partir da sua devoção aos santos como: Reis Magos, Divino Espírito Santo, São Sebastião, São Benedito, Nossa Senhora da Conceição, entre outros. Os grupos geralmente são formados por cantores, tocadores, e, em alguns casos, reis, palhaços e “bastiões”, que realizam visitas às casas de devotos distribuindo bênçãos e recolhendo donativos para variados fins. Possuem como principal elemento simbólico a bandeira e se organizam a partir de ritos como o giro ou jornada, encontros, festas e o cumprimento de promessas.

A plataforma ficará disponível para preenchimento no site do IEPHA-MG até o dia 30 de abril de 2016.

Para mais informações, entrar em contato com a Diretoria de Proteção e Memória (31) 3235 2875 linko.memoria@iepha.mg.gov.br

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Patrimônio cultural imaterial

fotografia: Taís Ferreira


As manifestações culturais tradicionais formam o patrimônio cultural imaterial de um povo que é definido pela UNESCO como:

"práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural".

Transmitidas de geração em geração e constantemente recriadas pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo, assim, para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana. As manifestações culturais tradicionais são transmitidas oral ou gestualmente, recriadas coletivamente e modificadas ao longo do tempo. A essa porção intangível da herança cultural dos povos dá-se o nome de "patrimônio cultural imaterial". 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Encontro de Folia de Reis registrado em foto e vídeo


Cds, fotografias e DVDs originados a partir de Encontro de Folia de Reis servem como material de apoio aos grupos culturais e subsidiam pesquisadores da área. 




Os Encontros de Folia de Reis geram ao longo da história inúmeros produtos audiovisuais. São livros, CDs e DVDs que fazem um valioso registro das manifestações artísticas e culturais de diversos grupos de foliões dessa tradicional festa popular. 


 O 3º Encontro de Folia de Reis de Piumhi-MG foi registrado em foto e vídeo pela jornalista e fotógrafa Taís Ferreira e pelo fotógrafo Lucas Lobato.

Outros Registros de Memória das Folias de Reis:
As produções audiovisuais originadas a partir do Encontro de Folia de Reis do DF remontam à primeira edição, em 2001, quando foi feito um DVD. “Naquela ocasião, fizemos a captação de som e imagem no interior de Goiás e em Planaltina, filmando os locais das folias. Naquele primeiro Encontro, foi possível visitar os grupos em suas localidades. É um filme didático, pois há explicações sobre as origens da folia, com depoimentos de foliões e personalidades”, recorda Volmi Batista, produtor.
Outro trabalho de destaque é o CD ‘Cantos e Danças – sapateados tradicionais’, patrocinado pelo Ministério da Cultura. “Neste trabalho, mostramos desde as danças do Tocantins, como a sussa e o tambor, até as danças do norte de Minas e do centro-oeste goiano, como as catiras, os recortados, os lundus e as curraleiras”, relata Volmi. Nesta obra, o produtor musical enaltece ainda o registro do canto de mutirão, uma manifestação praticamente extinta. “Com a crescente mecanização do trabalho no meio rural, quase não ocorrem mais mutirões, essas funções estão desaparecendo. Antes, as atividades na roça eram embaladas por cantos de trabalho”.

 “O álbum duplo ‘Tradição e Fé’, de 2005, é talvez o produto mais importante gerado pelo Encontro, pois registra os cantos dos foliões, as rezas e as danças de alguns grupos. A partir desse trabalho, com patrocínio da Petrobrás, produzimos também um livreto de 72 páginas, com letras das músicas, matérias e depoimentos dos foliões”.


Em 2006, o lançamento do CD ‘Folia de Reis João Timóteo’ disponibilizou ao público as cantigas e as rezas realizadas pelo grupo originado na cidade de João Pinheiro, em Minas Gerais. “Hoje, a maioria dos integrantes da agremiação mora no DF. É um grupo que tem uma forte ligação com a cultura afro. Em vez da catira, por exemplo, ele apresenta a congada paralelamente à folia”.
Lançamentos luxuosos ‘A Marcha dos Três Reis’, um lançamento de luxo, com CD e DVD, de 2010, foi produzido em parceria com o Iphan, abordando um grupo da cidade de Unaí. É um trabalho requintado, incluindo registros de partituras para ser usado em meio acadêmico. “O projeto teve a direção do professor Sebastião Rios, da Universidade Federal de Goiás, mas que na época era ligado à UnB. Ele foi um colaborador muito importante na elaboração de textos e na pesquisa sobre os grupos”.
Há ainda o livro ‘Tocadores – homem, terra, música e cordas’, que teve no Encontro de Folia de Reis do DF parte da fonte do conteúdo da publicação. “É um projeto da Olaria Cultural, de Curitiba, no Paraná, que usou o Encontro de 2002 para ter contato com o universo de folias e produzir um dos capítulos do livro“. O violeiro Roberto Côrrea, uma das atrações musicais da 14ª edição do evento, foi o curador da publicação. “Roberto, assim como outros colaboradores, tem tudo a ver com o Encontro. O CD ‘Sertão ponteado’, de autoria dele, serviu de referência para a nossa primeira edição, em 2001. Ele tem sido um parceiro constante e é difícil admitir realizar esse projeto sem que ele esteja presente”.
Homenagens
O 14º Encontro de Folia de Reis do DF fez homenagens a personagens importantes desse universo cultural. Badia Medeiros, folião e cantador sediado na cidade de Formosa-GO, é um deles. “ um mestre desde a concepção original do Encontro, concedendo orientações fundamentais. Já ministrou oficinas e deu palestras, sendo um orientador muito importante, especialmente para os jovens”. Outra homenageada foi Dona Gersina, fiandeira da cidade de Sagarana-MG, que morreu no ano passado. “um tributo especial a ela, que esteve presente no Encontro desde a primeira edição. Era uma artista fabulosa”.

 A cada edição dos Encontros de Folia de Reis, os livros, CDs e DVDs gerados a partir dos eventos ganham novas tiragens e são disponibilizados para venda ao público durante os dias de festa. “É algo que permite divulgar e financiar a atividade dos grupos de foliões."

 Exemplos a serem seguidos no Brasil,  para que se cuide do registro da diversidade dessas manifestações culturais de forma zelosa e bem-sucedida.



3º Encontro de Folia de Reis de Piumhi

Fotografias: Taís Ferreira e Lucas Lobato

Cores, dança e muita fé. Encerrando o mês de janeiro, Piumhi celebrou na Rua Bambuí, em frente à sede da Associação do Devotos dos Reis Magos de Belém (em construção), o 3º Encontro de Folia de Reis, uma das mais legítimas representações da religiosidade do interior do Estado.


 O evento contou com a apresentação de companhias de Reis das cidades de Capitólio, Vargem Bonita, São Roque de Minas, Candeias, Boa Esperança, Formiga, Itaúna e Piumhi, começou com a celebração de Missa, seguida do hasteamento das bandeira.

  As apresentações de Reis aconteceram entre 10h e 17h em frente à futura sede da associação (em construção), onde também acontecia uma feira de artesanato local. O almoço foi servido no Ginásio da Associação São Vicente de Paulo (SSVP).

  Às 17h30, começou o leilão para a arrecadação de fundos para o termino da construção da sede da associação que se prepara para, em breve, se constituir em um Ponto de Cultura de Tradições Imateriais da cidade de Piumhi.


 Com o apoio do Departamento Municipal de Cultura, o encontro contou com a presença de cidadãos das cidades da região, além de autoridades como Wilson Craide, prefeito da cidade de Piumhi, José Cirineu da Silva, vice-prefeito, a diretora de cultura, Nadir Goulart Rodrigues e o vereador Geraldo Romeu da Costa.





 3º Encontro de Folia de Reis

domingo, 31 de janeiro - Rua Bambuí, 

entre as ruas São Vicente e Modesto Caldeira 

Piumhi - MG






Confira a Cobertura Fotográfica de Taís Ferreira e Lucas Lobato